martes, 17 de abril de 2012

Un poema, un hermoso poema, un gran regalo de Leonardo B.

Hace escasos días he recibido un hermoso regalo de parte de un poeta al que admiro además de que su poesía me llena como lectora. El es Leonardo B., y éste el hermoso poema que me dedicó. Necesito guardarlo y mostrarlo en este cuarto claro.

(lo reproduzco con la imagen de la pintura de Stäel con la que él mismo lo acompañó)


[imagem: reprodução de Les Mouettes (1955)(?), Nicolas Stäel]

Imitação de Grão, O Grande Azul Deserto


Para Sofía Serra Giráldez, com carinho e admiração


apesar da linha curva
hemisfério e visível asa,


dos tão calmos, os vestígios
dos moldes, a nuvem
da raiz, a palavra como ruga de imitação
na linha da mão,


trago em mim algumas breves nascentes
dos centos dos rios
que contei,
alguns sem margem, alguns
pequenas sementes de
pequenos desertos azuis,
desenhos declinados por um deus de passagem
projecto de um país sem fim, desigual
como ao compasso de universo, tão frágil


como ao verso que trago por asa,
tão frágil a parte que em mim
me refez pássaro rude e primário, que


apesar de tão só nesta tão grande casa,


faço concisa da pedra de fogo
o grande rio que do sopro levante
o meu subterrâneo e vulgo lugar, o grão
de silêncio derramado raiz,
e que dos centos dos rios
de tão azuis
como ao deserto, do voo
do voo incerto ao despertar
ao lugar da nuvem, a casa, o corpo
coração primeiro,
e de tantos
o molde mais saliente, o livro aéreo
o que quero e por tão concreto invento,
digo ser
o meu mais discreto país


o lugar que habita esse tal de pássaro,
o pássaro coronário comigo dentro.


Abril 9, 2012.
Leonardo B.
 
Creative Commons License
El cuarto claro by Sofía Serra Giráldez is licensed under a Creative Commons Reconocimiento-No comercial 3.0 España License.